Dr. Nelson Astur Neto - Pergunte ao doutor

Pergunte ao doutor

Confira as dúvidas mais frequentes sobre coluna respondidas pelo Dr. Nelson. Caso não encontre a sua, clique aqui para enviar uma pergunta.

  • O que é escoliose?

    Escoliose é uma alteração tridimensional do alinhamento da coluna vertebral. Diferente da Lordose e da Cifose, que são condições normais para os indivíduos, a Escoliose é considerada uma doença.

    A principal curva na Escoliose se dá no eixo coronal, ou seja, quando olhamos alguém de costas e notamos um encurvamento da coluna, seja na região torácica ou lombar. Sua forma mais comum é a Escoliose Idiopática do Adolescente, que na sua maioria acomete as meninas entre 10 a 14 anos, mas também pode ser encontrada em meninos. Da mesma maneira, escolioses são frequentemente encontradas de forma leve, que não necessitam de nada além de observação médica. Poucas irão necessitar da ajuda externa de um colete, e aquelas que precisarão de tratamento cirúrgico compõem a minoria.

    Muitas das escolioses são notadas pelos pais, familiares ou amigos em situações em que a criança está sem camisa, na praia ou piscina. Algumas são detectadas em triagens escolares para a doença. Em qualquer uma destas ocasiões, procure a avaliação de um ortopedista ou pediatra. Se necessário, ele irá encaminhar para um Médico Especialista de Coluna, que irá definir o tratamento correto.

    A avaliação do especialista em coluna é importante porque algumas escolioses não seguem o padrão usual, e podem ter origem em doenças neurológicas ou por alterações congênitas da formação da coluna. Estes casos requerem atenção especial pois podem ser mais agressivos e progredir com maior rapidez.

    A Escoliose tem tratamento com ótimos resultados, mas o diagnóstico deve ser feito cedo e o tratamento deve ser instituído de imediato. Procure sempre um médico Especialista em Coluna para a correta avaliação de diagnóstico e definição de tratamento.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • O que é cirurgia de coluna por vídeo?

    Apesar de ter sido desenvolvida há algumas décadas, a Cirurgia por Vídeo para as doenças da coluna se popularizou nos últimos anos pelo desenvolvimento tecnológico atual de câmeras cada vez menores e com mais qualidade.

    No Brasil, ela já é uma realidade e está acessível aos pacientes com doenças como Hérnia de Disco Lombar e Cervical, e Estenose do Canal Vertebral. Pode ser utilizada para outros problemas da coluna também, porém com muito menos frequência.

    A cirurgia para Hérnia de Disco por vídeo é realizada por meio de um Endoscópio específico para coluna. É uma técnica minimamente invasiva em que a hérnia de disco é retirada por um corte de menos de 1cm com o auxílio de uma câmera de vídeo e pinças especiais.

    O procedimento é feito em hospital com anestesia geral ou até mesmo com sedação superficial do paciente. A perda de sangue é mínima e o paciente pode andar logo de imediato após a cirurgia quando retorna ao quarto. Na maioria das vezes, o paciente já recebe alta para casa no mesmo dia da cirurgia e em pouco tempo já está realizando suas atividades rotineiras de antes.

    A melhora da dor irradiada para as pernas é imediata e a dor proveniente do corte e da agressão cirúrgica é muito menor do que na técnica convencional. A cirurgia de hérnia de disco por vídeo apresenta a grande vantagem de preservar a musculatura da coluna, com mínima agressão aos tecidos e consequentemente uma reabilitação pós-operatória muito mais rápida.

    Assim como a artroscopia no Joelho e Quadril substituiu a cirurgia aberta convencional, na área de coluna a cirurgia por vídeo tem ganhado cada vez mais espaço e popularidade, e constitui uma ótima técnica cirúrgica quando bem indicada. Para ver se o seu caso é adequado para esta técnica, consulte um médico Especialista em Coluna treinado em Cirurgia por Vídeo na Coluna.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Qual o melhor colchão para as minhas costas?

    Uma das perguntas mais frequentes dos pacientes para os médicos especialistas em coluna é justamente essa: Qual o melhor colchão para as minhas costas?

    É essencial que essa dúvida exista, já que passamos cerca de 1/3 da nossa vida na cama, e mesmo assim muitas pessoas desconsideram o efeito disto na própria coluna.

    Dormir sobre um colchão ruim pode resultar em uma postura desequilibrada, levando ao aumento da dor lombar e privação de sono. Isto pode não somente ocasionar a lombalgia, mas também afetar a saúde do indivíduo como um todo.

    Muitos pacientes questionam se uma marca de colchão é superior ou melhor para a saúde da coluna. Apesar dos anúncios o levarem a acreditar que sim, não há bons estudos atualizados que documentem qual marca de colchão melhora a qualidade do sono e diminui os problemas com a coluna. Existem, entretanto, algumas dicas e guias que você pode seguir para facilitar sua escolha.

    Em alguns aspectos, a escolha do colchão segue uma preferência individual, mas é importante encontrar um equilíbrio entre o conforto e a sustentação adequada das costas. O colchão deve ser firme o suficiente para prevenir que você afunde, mas também que macio o suficiente para se adaptar às curvas normais do corpo. O objetivo é encontrar um colchão que mantenha a coluna em uma posição equilibrada. Colchões muito firmes podem causar pressão em pontos mais salientes do corpo, enquanto os muito moles causam estresse nos tecidos moles, como músculos e ligamentos, levando a um alinhamento ruim. Um colchão com sustentação e conforto irá propiciar que suas costas descansem durante o período de sono.

    Tente aprender você mesmo sobre os tipos de colchão e seus componentes. Não hesite em perguntar. A sustentação ou a firmeza em um colchão são normalmente fornecidas por molas internas. Estas são distribuídas em diversos padrões dentro do colchão para criar diferentes níveis de sustentação. O acolchoamento interno e no topo do colchão também influenciará no conforto.

    Avalie se o seu colchão atual precisa ser substituído. Em geral, colchões são bem caros, mas é um investimento relativo para a saúde da sua coluna. Verifique a superfície e o contorno do seu colchão atual. Flacidez visível é uma indicação de uma possível substituição. Vire e rode o seu colchão a cada 4-6 meses para assegurar um desgaste homogêneo em todas as superfícies.

    Altos preços nem sempre significam melhor qualidade ou melhores resultados. Mesmo que colchões mais grossos, com mais molas e acolchoamento tendam a ser mais caros, isto não garante melhores resultados. Se possível, verifique a sustentação e a postura primeiro, o preço vem depois.

    Não se influencie por anúncios. Como dito anteriormente, não há estudos médicos sérios e significativos que apoiem algum tipo específico de colchão. Etiquetas que dizem “colchão ortopédico” e “cientificamente comprovado” sempre irão influenciar consumidores a comprar o produto.

    Se possível, experimente antes. Se o colchão será utilizado por duas pessoas, tenha certeza que os dois testem na loja ao mesmo tempo. Em geral, lojas tem regras para testes e devolução, logo, tenha certeza sobre elas antes de comprar para uma potencial devolução se não estiver satisfeito.

    Preste atenção no seu travesseiro também. O travesseiro deve sustentar seu pescoço e permitir que você descanse em uma posição equilibrada, centrado sobre o tórax e ombros. Usar mais de um travesseiro frequentemente tira a cabeça de uma posição equilibrada, causando dor no pescoço e nos ombros.

    Garantir uma boa noite de sono é importante não apenas para a saúde da sua coluna, mas para seu corpo como um todo. Apesar de existirem fatores de difícil controle para manter uma postura confortável, seu colchão é algo que pode ser modificado para melhorar a qualidade do seu sono e controlar problemas nas costas e pescoço. Esta pode ser uma medida que melhorará sua qualidade de vida.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Como escolher um travesseiro?

    Descansar e dormir é a chance que o corpo tem de se recuperar dos insultos posturais, físicos e nervosos do dia que passou.

    Usar alguns dos seguintes travesseiros pode melhorar a qualidade do seu descanso e recuperação, o que lhe permitirá acordar melhor e pronto para enfrentar um novo dia.

    É importante notar que nem todos os travesseiros funcionam para todo mundo. Um breve teste por uma semana em geral é suficiente para decidir se o travesseiro está ou não sendo benéfico.

    Travesseiro no joelho É recomendável usar um travesseiro entre os joelhos (para quem dorme de lado) ou abaixo da coxa/joelhos (para quem dorme de barriga para cima) para aliviar a distensão ou a sobrecarga na coluna lombar.

    Para quem dorme de lado Quando alguém dorme de lado, o ato de dobrar os joelhos e colocar um travesseiro entre os joelhos previne que eles se encostem e mantém a coluna em uma posição neutra. Quando não há suporte entre as pernas, a perna de cima roda para baixo, puxando a pelve e distorcendo a linha natural da coluna.

    Adicionar uma sustentação entre os joelhos pode prevenir dor lombar induzida por estes tipos de força, proporcionando alívio para as costas e descanso enquanto dorme.

    Em geral, um travesseiro firme entre os joelhos funciona melhor do que um macio porque ele serve como um anteparo para impedir que a perna acima não rode sobre a perna abaixo.

    Para quem dorme de barriga para cima Quando se dorme de barriga para cima, colocar um travesseiro embaixo do joelho/coxa diminui a sobrecarga e o peso despejado na coluna lombar.

    Algumas pessoas até preferem colocar dois travesseiros para elevar ainda mais seus joelhos. Com dois ou mais travesseiros embaixo dos joelhos, a coluna lombar endireita, diminuindo a sobrecarga em articulações facetárias dolorosas da coluna.

    Esta posição é a melhor para auxiliar o descanso das costas, e muitas pessoas descobrem que esta é a única maneira de dormir durante uma grave crise de lombalgia ou enquanto se recuperam de uma cirurgia de coluna.

    Travesseiros de corpo Travesseiros que são tão longos quanto o corpo tem diversas funções para pessoas que preferem dormir de lado, já que a porção superior pode ser usada para apoio da cabeça e do pescoço, enquanto a ponta inferior sustenta os joelhos e pernas.

    Alguns acham esta forma mais confortável do que usar travesseiros separados para a cabeça e joelhos. Mulheres grávidas, em particular, costumam preferir o travesseiro de corpo, pois este fornece suporte adicional para o abdômen.

    Travesseiro moldado para pescoço O travesseiro que é moldado para ocupar os espaços abaixo da cabeça e do pescoço pode ser benéfico para pessoas com problemas na coluna cervical.

    Também chamado de travesseiro cervical ou travesseiro ortopédico, este tipo de travesseiro tem uma depressão mais funda onde a cabeça se apoia, e suporte extra para o pescoço.

    Pessoas com dor cervical podem usar este travesseiro, já que ele preenche o espaço vazio criado pelo pescoço e auxilia a manter o pescoço alinhado com a coluna.

    Alguns travesseiros ortopédicos podem desgastar após um a dois anos e podem precisar ser substituídos.

    Travesseiro de viagem Os travesseiros moldados em “U”, que são curvos para moldarem ao redor do pescoço, podem ser usados para dormir ou para apoiar a cabeça quando sentado.

    Este tipo de travesseiro evita que a cabeça incline muito para um dos lados. Também cria um suporte para que o peso da cabeça seja distribuído no travesseiro. Alguns muito volumosos para pessoas com pescoço menor podem ser usados ao contrário, com o “U” sustentando o queixo e evitando que o pescoço fique em posição de hiperflexão, ou seja, muito dobrado em direção ao tórax.

    Travesseiro de apoio lombar Um travesseiro de apoio lombar ajuda na sustentação da curvatura formada pela lordose da coluna lombar.

    Ficar sentado por períodos muito longos sem nenhum suporte ou apoio na coluna lombar pode gerar tensão muscular e dor lombar ou ciática (nas pernas).

    Utilizado na posição sentada, este travesseiro preenche o espaço natural criado entre a cadeira e a coluna lombar.

    Apoio lombar também é benéfico quando sentado no carro. Quando a curva lombar tem sustentação, as forças gravitacionais e da direção são absorvidas quase como uma mola.

    Travesseiro ou almofada em rosca Esta é uma almofada em forma de “O” colocada na parte da cadeira em que se senta. Possui uma depressão ou um buraco no centro da almofada em que a pessoa senta colocando muito menos pressão na região do cóccix (o osso do bumbum)

    Pessoas que sofreram uma fratura do cóccix ou contusão, ou que tem dor no cóccix (coccigodinia), podem precisar deste travesseiro para sentar sem dor.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Tendo uma boa noite de sono

    Nós infrequentemente pensamos na nossa coluna quando vamos deitar na cama para dormir, mas nossa postura nesse período pode ser determinante para o bem-estar da nossa coluna – e se vamos ou não ter dor nas costas. Quando formos nos deitar, é importante lembrar algumas dessas dicas:

    Mantenha sua coluna em posição neutra Você pode fazer isso trocando o colchão com molas internas por um colchão de espuma, alterando sua postura ao dormir ou utilizando travesseiros. O colchão de molas pode criar pontos de pressão na cabeça, escápulas, cóccix ou calcanhares que não irão sustentar a curva da sua coluna no pescoço ou coluna lombar.

    Durma de barriga para cima ou de lado Estas posições colocam menos pressão nas suas costas do que deitar de bruços (barriga para baixo). Isto acontece porque seu peso é distribuído simetricamente ao longo da superfície do seu corpo, minimizando os pontos de pressão e assegurando alinhamento correto.

    Alterne os lados se você dorme de lado Alguma evidência sugere que dormir regularmente apenas de um lado em um colchão que não molda o corpo pode contribuir para desequilíbrio muscular e dor. Sempre dormir do mesmo lado suspende o meio do seu corpo entre os quadris e os ombros. Colocar um travesseiro entre seus joelhos ajudará a manter os quadris, pelve e coluna alinhados.

    Use um travesseiro Não importa a posição em que você dorme: posicione seu travesseiro entre sua cabeça e pescoço, não sob seus ombros. Se você dorme de barriga para cima, tenha certeza que o travesseiro preenche o espaço entre o pescoço e o colchão para manter sua cabeça na posição neutra. Em geral este travesseiro terá um perfil mais baixo. Se você dorme de lado, utilize um travesseiro mais alto para compensar a altura do ombro e manter a coluna alinhada. Posicione-o sob sua orelha.

    Seu formato de corpo dita o tipo de sustentação que você precisa Se o seu quadril é mais largo que a sua cintura, um colchão mais macio pode acomodar a largura da sua bacia e permitir que a sua coluna permaneça neutra. Se os quadris e a cintura estão em uma linha relativamente reta, uma superfície mais rígida oferece melhor sustentação.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Dor nas costas?

    O que você precisa saber sobre lombalgia A lombalgia não é uma doença, mas um sintoma que acomete 80% da população adulta em algum momento da vida. É a principal causa de licença médica do trabalhador e cerca de 5% das crianças terão pelo menos um episódio. Caracteriza-se por dores, agudas ou crônicas, na coluna lombar, que corresponde à região mais baixa da coluna vertebral, logo acima das nádegas, na cintura.

    Diagnóstico O diagnóstico pode ser feito clinicamente, através dos sintomas e exame físico do paciente. Exames de imagem como raio-x, tomografia e ressonância complementarão a identificação do fator causador.

    Quais são as causas? Diversas são as causas, sendo as principais:

    • Mecânicas e posturais – resultados de má postura, obesidade, gravidez e esforços repetitivos.
    • Hérnia de disco – quando há ruptura do disco intervertebral, formando-se uma hérnia de disco. Essas rupturas podem ocorrer em um ou mais níveis, em geral sendo decorrentes de sobrecargas.
    • Degenerativas (artrose) – com o envelhecimento, perdemos a força e a flexibilidade da coluna. Neste processo, podem estar comprometidas as articulações (desgaste), os ligamentos (calcificação) e as ossificações que crescem para dentro e fora da coluna (“bicos de papagaio”).

    Tratamento A grande maioria das lombalgias é tratada com reabilitação, repouso relativo, fisioterapia e medicação para dor. A longo prazo, são indicados o controle alimentar para redução de sobrepeso e realização de atividades físicas de rotina, além da realização de alguns tipos de alongamento e exercícios que favoreçam o condicionamento muscular. O tratamento cirúrgico se restringe à pequena parte das dores causadas por doenças específicas da coluna que não respondem ao tratamento conservador.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Doutor, tenho lordose, cifose e escoliose!! O que fazer?

    Essa é uma queixa frequente nos consultórios de ortopedistas, e mais ainda no do especialista em coluna. O paciente vem ao médico agoniado porque algum familiar ou outro profissional o avaliou e de cara já deu esses três diagnósticos e o transformou em três novos problemas.

    A boa notícia é que pelo menos dois desses problemas já estão resolvidos logo de cara. LORDOSE e CIFOSE estão presentes em todos os seres humanos, o problema seria não tê-las!! Para manter o equilíbrio da coluna e da marcha, o ser humano desenvolveu, quando se olha de lado para uma pessoa, uma LORDOSE cervical, uma CIFOSE torácica e uma LORDOSE lombar, curvas fisiológicas na coluna e totalmente normais em qualquer pessoa. Algumas pessoas podem ter essas curvas um pouco mais acentuadas, mas a grande maioria dentro da normalidade. Quando elas são MUITO acentuadas, aí sim podem se tornar um problema, sendo chamadas HIPERCIFOSE e HIPERLORDOSE.

    A ESCOLIOSE, por sua vez, já configura uma alteração no equilíbrio da coluna. Ela pode ser notada ao observar uma pessoa de costas com desalinhamento em uma coluna que deveria ser reta, inclinação nos ombros ou na pelve, ou a formação de uma "corcunda" ou "giba" nas costas. O diagnóstico preciso da gravidade e do tipo de escoliose só será feito após consulta com especialista e exame de imagem.

    A boa notícia é que, na grande maioria dos casos, a curva é tão pequena que não configura ESCOLIOSE (menos de 10 graus), e mesmo naquelas com mais de 10 graus, a maioria não atinge gravidade suficiente a ponto de necessitar intervenção. O ideal é sempre consultar um especialista no assunto para definir o diagnóstico!

    Para outras dúvidas, consulte sempre um especialista credenciado.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Dor nas costas??? Cuide bem da sua coluna!!

    A coluna vertebral é o eixo central de sustentação do corpo e todas as suas 24 vértebras independentes fazem esta estrutura complexa ser bastante móvel, além de protegerem, em seu canal vertebral, a medula espinhal e suas raízes nervosas. Entretanto, em algum momento da vida, lombalgias ou dores nas costas irão atingir cerca de 80% da população.

    A grande maioria dos problemas resulta de má-postura, biomecânica ruim, rotina de vida e trabalho estressantes, perda de força e flexibilidade, além da piora geral da saúde e do condicionamento físico.

    Todos esses fatores provocam estiramentos musculares que geralmente melhoram rápido em algumas semanas com medicação, bolsas de calor e gelo, alguns exercícios e fisioterapia.

    A prevenção irá se basear na investigação da causa, correção postural, uso de colchão e travesseiros ortopédicos, melhora do condicionamento físico, aprimoramento da qualidade nutricional, controle de estresse emocional diário, respeito às horas de sono e o ato de parar de fumar.

    Quando dura mais de três meses, a lombalgia se torna crônica e pode indicar algum dano mais sério como hérnia de disco, estenose vertebral e doença degenerativa do disco e óssea. Dependendo da causa, o tratamento cirúrgico pode ou não ser indicado.

    Para isso, é essencial uma avaliação e um plano terapêutico liderado por um médico ortopedista, de preferência especialista em coluna. Os procedimentos cirúrgicos irão se basear na remoção da causa de compressão das estruturas neurais e estabilização dos segmentos vertebrais dolorosos e degenerados.

    A evolução da cirurgia de coluna nas últimas décadas a tornou menos traumática, menos invasiva e mais segura, possibilitando um retorno rápido e confortável ao trabalho e às atividades diárias.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Qual a diferença entre um especialista em coluna ortopedista e o neurocirurgião?

    Cirurgiões de coluna ortopedistas ou neurocirurgiões estão igualmente habilitados para realizar a maioria dos tipos de cirurgia de coluna. Ambos operam a coluna cervical, torácica e lombar, incluindo descompressões da medula espinhal e dos nervos, artrodese de coluna, microcirurgia e cirurgia minimamente invasiva da coluna.

    Qual a diferença no treinamento? Ambos possuem formação médica idêntica de 6 anos de faculdade de medicina antes de iniciar a residência no seu campo específico. Tradicionalmente, os ortopedistas realizam mais 3 anos de residência no diagnóstico e tratamento de todos os problemas musculoesqueléticos (osso, articulações, músculos e nervos) incluindo os da coluna, e em seguida completam mais 2 anos obrigatórios de estágio clínico e cirúrgico apenas de problemas e doenças da coluna.

    Neurocirurgiões fazem residência e treinamento para os problemas e doenças do cérebro e da coluna, que em geral duram 5 anos. Subespecializações envolvem o treinamento avançado em técnicas específicas como artrodese de coluna, cirurgia minimamente invasiva, deformidades, coluna pediátrica, tumores da coluna e reconstruções complexas da coluna. Estas são as exigências mínimas da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) para se tornar um candidato à prova de título em cirurgia de coluna.

    Existe algum tipo de cirurgia mais habitual para um ou outro? Em algumas situações específicas, um neurocirurgião ou um ortopedista pode ser uma escolha mais apropriada. Por exemplo, um ortopedista especialista em coluna pode ser mais acostumado e habilitado para realizar cirurgias de deformidade (como escoliose ou deformidades complexas da coluna) ao passo que o neurocirurgião estará mais habituado para tratar tumores intradurais e que estão dentro do sistema nervoso central.

    Como eu devo escolher um cirurgião especialista em coluna? Na maioria das vezes, as qualificações de um cirurgião para fazer cirurgia de coluna estão mais ligadas à quantidade de treinamento em cirurgia de coluna e de prática e trabalho dedicado à cirurgia de coluna do que ao fato do especialista ser um ortopedista ou neurocirurgião.

    Questões para perguntar para o seu especialista em coluna:

    • É um especialista treinado e que realizou estágio em cirurgia de coluna?
    • É um cirurgião que faz parte de um centro de coluna multidisciplinar?
    • É um cirurgião com título da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC)?
    • É um cirurgião com treinamento em técnicas minimamente invasivas da coluna?
    • A maior parte dos casos do especialista é de coluna, ou ele/a é mais envolvido em casos gerais de ortopedia ou de neurocirurgia?

    Um médico focado apenas em cirurgia de coluna tem mais chance de estar atualizado em técnicas mais modernas e avançadas, assim como participando de congressos e cursos de atualização, do que aqueles que ocasionalmente participam ou fazem cirurgia de coluna.

    Questões para se perguntar após passar em consulta com o especialista em coluna:

    • O cirurgião me explicou claramente o diagnóstico e a causa da dor?
    • Você se sentiu confortável com o cirurgião e sentiu que todas as suas questões foram respondidas satisfatoriamente?
    • O cirurgião ofereceu um leque completo de opções de tratamento ou discutiu imediatamente o tratamento cirúrgico?

    Com muita frequência haverão muitas alternativas de tratamento não-cirúrgicos/conservadores que ajudarão a evitar uma cirurgia desnecessária.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • As verdades sobre a mochila escolar

    Milhares de estudantes vão para a escola todos os dias com mochilas penduradas nos seus ombros. Aproximadamente metade destes carrega o dobro do peso recomendado nas costas, o que pode levar a lesões por sobrecarga e estresse e dor nas costas, condições que podem piorar com a idade.

    Cerca de 40% dos especialistas em coluna já trataram crianças ou adolescentes que sofrem de dor nas costas causada por uso indevido ou sobrepeso das mochilas escolares. O diagnóstico vai de estirões cervicais, torácicos ou lombares à espondilólise, uma fratura por estresse da vértebra.

    Segue abaixo dicas para prevenir lesões nas costas:

    Diga sim às rodinhas O modelo de mochila com rodinhas que deslizam no chão puxadas por uma haste ajuda crianças que já são sintomáticas. São indicadas também se os pais antecipam que o filho irá carregar peso maior do que 10kg.

    De volta ao básico A maioria dos especialistas em coluna recomenda o tipo clássico de mochila. Se esta for a sua opção, tenha certeza de que a mochila tenha duas alças com coxins/almofadas e uma cinta para suporte lombar adicional.

    Conforto conta Não compre a primeira mochila que encontrar. É importante ter certeza de que a mochila esteja confortável na criança e de que as alças possam ser ajustadas para ficarem justas no corpo.

    Evite a sobrecarga Independente do modelo que os pais escolham para os seus filhos, é importante lembrar que é o que está dentro que realmente conta. Colocar muito peso na mochila é a causa número um para o uso impróprio destas. O tamanho da mochila deve ser proporcional ao tamanho da criança e não ao tamanho do objeto que ela vai carregar.

    Tudo é muito Guarde apenas o que você precisa! O peso da mochila não deve ultrapassar mais do que 10-15% do peso corporal da criança.

    Ajuste as alças Sempre use ambas as alças e ajuste-as para se apoiarem nos ombros.

    Mantenha-se organizado Organize a mochila de modo que os itens mais pesados fiquem mais próximos das suas costas. Use os compartimentos separados para guardar os itens que ficam soltos e distribua o peso igualmente.

    O peso machuca Não carregue mais do que você pode aguentar. Faça paradas frequentes para descarregar a mala. Estimule seu filho a não carregar todos os livros que ele precisará naquele dia.

    Quando usadas da maneira correta, mochilas são uma ótima maneira das crianças carregarem seus livros escolares e suprimentos que precisarão durante o dia. Os pais devem ter certeza e perguntar aos seus filhos se eles sentem alguma dor nas costas ou no pescoço. Se a criança reclama de algum desconforto, leve-a a sério e visite um especialista.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.
  • Dor nas costas durante a gravidez

    Metade de todas as mulheres grávidas irão sofrer algum grau de dor nas costas. A dor nas costas ou lombalgia se desenvolve devido a duas razões. A primeira é simplesmente o sobrepeso causado pela gravidez. A segunda provavelmente é que este peso extra é carregado na frente do corpo, alterando o centro de gravidade para frente e gerando mais distração nos músculos da coluna lombar. Estes músculos talvez tenham que trabalhar mais para sustentar este novo equilíbrio.

    Como minimizar o desconforto? Mantenha-se firme com seu programa de exercícios. Descubra com o seu médico quais exercícios de fortalecimento lombar e abdominal são seguros para você e por quanto tempo você pode realizar seu programa regular de exercícios. Natação é uma maneira excelente de se manter em forma e aliviar o estresse das suas costas devido ao peso extra da gravidez.

    Levantando peso Se você tem que pegar alguma coisa do chão, ajoelhe-se em um joelho com o outro pé plano em relação ao solo, o mais próximo possível do objeto que você irá levantar. Levante suas pernas, não sua coluna, mantendo o objeto próximo do seu corpo o tempo todo. Tenha cuidado pois é mais fácil perder o equilíbrio quando você está grávida. Sempre que possível, peça ajuda para levantar objetos.

    Carregando peso Dois objetos pequenos (um em cada mão) podem ser mais fáceis de carregar do que apenas um grande. Se você tem que carregar um objeto grande, mantenha-o próximo do seu corpo.

    Dormir Dormir de barriga para cima coloca cerca de 25kg de pressão sobre as suas costas. Colocar um travesseiro embaixo dos joelhos diminui esta pressão pela metade. Deitar de lado com um travesseiro entre os joelhos também diminui a pressão.

    Como lidar com a dor lombar resultante da gravidez? Felizmente, a maioria das lombalgias relacionadas com a gravidez é auto-limitante e se resolve. Na maioria dos casos, a medicação não é uma boa opção. Não utilize medicação durante a gravidez sem a permissão do seu médico.

    Algumas opções de tratamento incluem o aprendizado de exercícios para sustentação da musculatura das costas e da pelve, e uso de vestimentas que dão apoio para certas causas de lombalgia na gravidez. Tratamento local com bolsas de calor e frio também ajuda.

    Se a dor persistir apesar destas medidas, ou se você desenvolver irradiação da dor, como ciatalgia, formigamento, parestesia ou enfraquecimento das pernas, você deve consultar um médico especialista em coluna com familiaridade com problemas relacionados à gravidez. Ele irá auxiliar no diagnóstico e tratamento do seu problema específico.

    Dr. Nelson Astur Neto - Tratamentos conservadores - Implementação de diversas técnicas para reduzir os sintomas e atravancar o avanço das doenças da coluna.

Envie sua pergunta

Aguarde Dr. Nelson Astur Neto - Aguarde - Estamos enviando sua mensagem. Estamos enviando sua mensagem.
Sua mensagem foi enviada com sucesso! Dr. Nelson Astur Neto - Sua mensagem foi enviada com sucesso! - Favor aguardar o nosso contato. Favor aguardar o nosso contato.